(31) 3222-5776 | (31) 2511-2099 Biblioteca Virtual

O uso de ondas na estética

 

Para compreender o uso de ondas na estética é necessário, inicialmente, relatar brevemente o seu conceito para entendê-la.  Onda é definida como uma perturbação periódica. Em outras palavras, pode ser compreendida como o transporte de energia de uma região para outra através da oscilação das partículas do meio. Existem dois tipos de ondas utilizadas na estética, a eletromagnética, que transporta energia tanto através da matéria quanto na ausência da mesma, e a mecânica que se propaga somente na matéria. 

 

As ondas transportam apenas energia. Desta forma, ao incidirem sobre o organismo humano, serão absorvidas pela matéria que constitui o corpo resultando em efeitos fisiológicos desejáveis, quando aplicada corretamente. 

 

Na estética pode-se considerar como ondas mecânicas o aparelho de ultra-som, um método não invasivo utilizado para tratamento de Fibro Edema Gelóide (FEG) e de lipodistrofia. O FEG é conhecido popularmente como celulite e se constitui como um distúrbio metabólico localizado no tecido cutâneo e na microcirculação, o que gera a formação de um tecido fibroso e acúmulo de líquidos na região. A fibrose formada irá se retrair tracionando a pele com geração das indesejáveis ondulações. A lipodistrofia é o excesso de gordura em determinadas regiões (gordura localizada). 

 

Os aparelhos de ultra-som normalmente utilizados apresentam freqüência entre 1MHZ e 3MHZ. O primeiro é utilizado em lesões mais profundas podendo atingir músculos e ossos. Já o segundo é usado em lesões mais superficiais podendo atingir o tecido adiposo. Assim sendo, o ultra-som de 3MHZ é o mais indicado para o tratamento das disfunções estéticas já citadas (lipodistrofia e FEG). 

 

O ultra-som normalmente é associado a uma técnica denominada de fonoforese, técnica esta que utiliza substâncias ativas junto a pele que penetrarão no tecido através das ondas ultra-sônicas para otimizar os resultados do tratamento. Alguns exemplos de ativos que podem ser utilizados na fonoforese são a centella asiática, planta de caráter medicinal proveniente da Índia que melhora a elasticidade e firmeza da pele, além de melhorar a circulação e minimizar o líquido acumulado em um processo de celulite, e a cafeína, ativo com caráter lipolítico que auxilia na quebra e diminuição da gordura ajudando no tratamento de lipodistrofia e celulite.

 

Além dos princípios ativos citados, as ondas ultra-sônicas promovem alguns efeitos fisiológicos no organismo, como o aumento da temperatura da região tratada e, conseqüentemente, a vasodilatação, o que irá combater a dificuldade circulatória existente no FEG, além de promover uma regeneração tecidual e devolver a pele um aspecto saudável e agradável. No entanto, existem algumas contra-indicações. O ultra-som terapêutico deve ser evitado sobre o útero gravídico, pois suas ondas podem prejudicar o feto por formar bolhas no líquido que o banha (cavitação). Deve ser evitado também em pacientes com neoplasias, pois pode favorecer a evolução das células cancerígenas pelo organismo. 

 

Em consideração as ondas eletromagnéticas, pode ser utilizado na estética o LASER (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation) e o LED (Light Emission Diode), tecnologias capazes de gerar luz em uma única cor ou comprimento de onda (azul, vermelho, infra-vermelho, etc). 

 

A luz azul normalmente é utilizada para promover efeitos de desinfecção a nível de pele, como no tratamento da acne, por exemplo. Essa é uma doença crônica, inflamatória, causada pela associação das atividades das glândulas sebáceas e a bactéria Propionibacterium acnes. Essa luz terá o principal objetivo de eliminar esta bactéria através da sua ação fotodinâmica (produção de radicais livres que matarão a bactéria em questão). Já a luz vermelha e o infra-vermelho são comumente utilizados em processos de rejuvenescimento da pele, conhecido como fotorejuvenescimento. 

 

Os diversos efeitos fisiológicos alcançados através da ação de ondas eletromagnéticas no organismo, como o aumento do metabolismo, proliferação celular e aumento do fluxo sanguíneo, permitem também acelerar o processo de cicatrização e melhorar o aspecto da cicatriz, reparar tecidos lesionados, estimular as células de defesa e combater a dor. 

 

Algumas contra-indicações existentes para o uso da luz são: gestantes, pacientes com implantes metálicos, portadores de marca-passo e pessoas que apresentam distúrbios de sensibilidade a luz. 

 

É possível concluir que através das ondas e aparelhos, os tratamentos estéticos podem ser otimizados e apresentar grande eficácia. Porém, é sempre de extrema relevância associar os tratamentos na clínica com a execução de atividade física reguladas e uma alimentação adequada, assim como a ingestão de líquidos. Desta forma, é possível favorecer o equilíbrio molecular do organismo (homeostase) e melhorar o aspecto da pele, o que potencializará o tratamento no qual a pessoa foi submetida e evitará que novas disfunções estéticas surjam, além de estabelecer a manutenção da saúde do corpo humano.